Enquadramento

 

 

A ESB-UCP tem cerca de 25 anos de liderança na Formação Avançada para profissionais do Sector do Vinho, tendo promovido várias edições das Pós-Graduações em Enologia e em Marketing de Vinhos e centenas de horas de seminários e formações curtas na área da enologia.

Atendendo ao grande sucesso das edições anteriores, é com grande orgulho que a ESB-UCP promove a realização da sétima edição do Curso de Pós-Graduação em Enologia, que decorrerá entre Dezembro de 2015 e Junho de 2017.

Os conhecimentos e capacidades que um enólogo precisa de ter actualmente são bastante variados e nem sempre muito óbvios. A economia global e a competitividade do mercado faz que o processo de transformar uvas em vinho seja actualmente apenas uma parte do trabalho do enólogo. Por essa razão foi incluído neste curso um leque de matérias especificamente pensadas para expor o aluno às exigências modernas do sector e dotá-lo com os conhecimentos e capacidades de responder a essas mesmas exigências.

Pensar o vinho desde o copo até à uva ("from glass to grape") é hoje em dia, a estratégia utilizada para produzir vinhos adaptados aos diferentes mercados. Por essa razão, os enólogos que praticam este tipo de enologia têm de conhecer e saber utilizar a "palete" de ferramentas tecnológicas ao seu dispor e que lhe permitem "desenhar" vinhos de diferentes estilos, adequados aos gostos do consumidor.

Portugal tem uma grande tradição como país vitivinícola, centrada nas suas Regiões Vitivinícolas, possuindo uma enorme diversidade de castas e de estilos de vinhos que faz com que as opções disponíveis para os enólogos Portugueses sejam invejáveis. No entanto, o conhecimento de outros estilos de vinhos do mundo, e de como os vinhos Portugueses se integram no contexto internacional, é essencial para poder posicionar correctamente um vinho num mercado particular.

A prova do vinho é a sua finalidade última e também uma ferramenta essencial para o enólogo. A prova permite ao enólogo monitorizar o processo da transformação de uva em vinho, e tomar decisões ao longo do processo. O resultado da prova reflecte todo o cuidado do enólogo ao longo do processo de fabrico do vinho e é o seu cartão-de-visita.

Cada vez mais, os enólogos procuram criar um estilo próprio e distinto para os seus vinhos, que só pode ser alcançado com conhecimentos técnicos e científicos adequados. Para o consumidor, o enólogo está, também, cada vez mais associado ao seu vinho.

O enólogo moderno tem de ter uma verdadeira cultura de vinho, e perceber a importância da história, geografia e economia na sua produção, comercialização e consumo. Além disso, deverá conhecer também a organização e a situação do sector bem como os desafios que lhe são colocados actualmente a nível regional, nacional e internacional.

A qualidade da uva assume um papel cada vez mais importante na qualidade do vinho final e o conhecimento de viticultura e o domínio de práticas vitícolas são fundamentais para produzir vinhos de qualidade.

As opções tecnológicas disponíveis hoje são complexas e sofisticadas, permitindo um controlo quase total sobre o processo produtivo. Por outro lado, as práticas tradicionais de cultivo e vinificação representam muitas vezes a melhor ferramenta para exprimir a máxima qualidade. Para tirar proveito do melhor da tradição e da inovação, é necessário um profundo conhecimento da composição do vinho bem como das transformações químicas e biológicas que estas tecnologias permitem.

No final, o vinho é um produto de consumo, que necessita ser transaccionado para que o valor acrescentado pelo trabalho do enólogo possa ser realizado. Por isso, quem intervém na cadeia de produção e comercialização do vinho deve também conhecer os mecanismos do mercado, e os factores que os influenciam.

 

Para receber informações de actividades da ESB-UCP na área dos vinhos, inscreva-se na nossa mailing-list de vinhos, enviando um e-mail para stsantos@porto.ucp.pt