Alumni da ESB promovem Fórum de Inovação em Engenharia Biomédica

No dia 12 de outubro, o Auditório Carvalho Guerra, da Católica no Porto, encheu-se para receber o primeiro Fórum de Inovação em Engenharia Biomédica, organizado pela ALUMNI - Associação de Antigos Alunos da Escola Superior de Biotecnologia, em parceria com a Escola Superior de Biotecnologia.

Durante uma manhã, no primeiro Fórum de Inovação em Engenharia Biomédica intitulado “Think BIG”, especialistas de empresas e investigadores levantaram a ponta do véu sobre as tendências e oportunidades que o futuro da Engenharia Biomédica reserva. Entre os principais nomes estiveram João Seabra (presidente da Siemens Healthineers), Susana Peñuelas-Montero (quadro sénior do Departamento Médico Internacional da BBraun Medical), Luís Soares (diretor de estratégia no Health Cluster Portugal) e Raquel Madureira (investigadora sénior do projeto colaborativo entre a empresa de biotecnologia Amyris e a ESB – projeto Alchemy). O Fórum contou também com a presença de antigos alunos da Universidade Católica Portuguesa que partilharam as suas experiências profissionais.

No final do encontro Ana Oliveira, da Escola Superior de Biotecnologia, referiu que “hoje em dia tentamos ir buscar à nossa massa crítica que são os alunos o melhor que eles têm e projetar isso não só em Portugal, mas à escala mundial, criando oportunidades para eles se formarem e pensarem à escala global, para que no futuro se tornem melhores profissionais.”

Ricardo Lacerda e Hugo Choupina, presidente e vice-presidente da ALUMNI respetivamente, salientaram a importância da formação multidisciplinar ao longo do curso de engenharia biomédica e reiteraram a “tradição da Universidade Católica em não só pensar grande, mas sobretudo pensar bonito”.

Isabel Braga da Cruz, presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica, elogiou a realização do evento e referiu que na Universidade existe uma grande preocupação em “pensar grande, global, de uma forma interdisciplinar, aliando a componente técnica ao desenvolvimento integral do aluno”.

Em paralelo com as palestras o programa incluiu a existência de vários espaços para troca de impressões e a criação de laços profissionais tão fundamentais nos tempos que correm: ninguém opera no vácuo. Estiveram presentes pessoas ligadas à engenharia biomédica, incluindo os que trabalham na indústria, hospitais e demais instituições de saúde, centros de investigação e universidades marcaram presença no evento.

 

Outubro 2019

Partilhe/Share