Alunas da ESB ganham concurso nacional Ecotrophelia

Alunas da ESB vencem final nacional do Ecotrophelia 2018 com a feijoada vegetariana "Bean Ready" - grupo disputa a final europeia a 21 e 22 de outubro, na Sial, em Paris

O concurso Ecotrophelia 2018 desafia estudantes do ensino superior a desenvolver um produto alimentar eco-inovador. "Bean Ready" - uma feijoada vegetariana pronta-a-comer, confecionada com produtos tradicionais portugueses, com fibra e proteína vegetal - será o projeto português a representar Portugal na final europeia da competição, que decorre, na Sial, Salão Internacional de Alimentação, considerada a mais importante exposição mundial do setor, que decorre em Paris em outubro.

A equipa vencedora, composta por Ana Rita Mendes, Ana Vilas Boas e Patrícia Soares (todas da ESB) e Ariana Macieira (antiga aluna da ESB, atualmente na Universidade do Minho), está focada, agora, na próxima fase do concurso. "Temos consciência que é uma grande responsabilidade representar Portugal nesta competição, mas iremos continuar a trabalhar para conseguirmos alcançar o melhor resultado possível", revela Patrícia Soares, que lidera o grupo. Refira-se que a equipa pretendia desenvolver um produto que conseguisse adequar uma refeição tradicional portuguesa às novas tendências do mercado, que não tivesse a presença de qualquer elemento de origem animal, mas que conseguisse ser igualmente saborosa como a tradicional feijoada portuguesa. Para o grupo, o segredo da vitória residiu exatamente nesse ponto, na valorização de um produto nacional. "O sabor e o odor do produto e o conceito por detrás desta ideia marcaram a diferença e permitiram-nos alcançar o primeiro lugar", conclui a porta-voz do grupo "Bean Ready".

 

Recorde-se que a Escola Superior de Biotecnologia esteve representada na final nacional com mais duas equipas: o projeto "Nuvem de Kefir" (snack com uma textura cremosa e um toque de fruta, destinado ao consumo em forma de gelado ou mousse) e o "Carrot 'n' Carob", que sugere uma mousse de cenoura e alfarroba que pode ser consumido com uma colher comestível. Mais do que isso, é importante destacar que a ESB teve a concurso cinco equipas (no total das 16), três das quais figuraram entre o grupo de 10 finalistas. Os produtos foram desenvolvidos na disciplina de Desenvolvimento de Novos Produtos e Processos e contou com o contributo das disciplinas de Práticas Ambientais Sustentáveis e de Embalagem.

O Prémio Ecotrophelia Portugal visa estimular a inovação e o empreendedorismo na área agroalimentar junto do meio académico e do setor agroalimentar. Os grupos a concurso devem desenvolver produtos alimentares tendo em conta critérios como as propriedades nutricionais e organoléticas (sabor, cor e aroma), o potencial e relevância comercial e, ainda, a reprodutibilidade industrial. A final da Ecotrophelia Europa está agendada para 21 e 22 de outubro.

Partilhe/Share