Investigação: Atividade antimicrobiana de vários óleos essenciais

 

As bactérias (riscos esbranquiçados) crescem por toda a placa menos à volta dos óleos essenciais (discos brancos pequeninos).

 

A perceção negativa dos consumidores sobre os aditivos químicos de alimentos faz com que os métodos naturais de conservação e conservantes naturais recebam maior atenção da indústria alimentar. Os óleos essenciais (OEs) são antimicrobianos naturais encontrados em muitas plantas e que têm demonstrado atividade contra microrganismos associados a vários produtos alimentares. Assim, os OEs têm vindo a ser propostos como uma alternativa viável e natural para aplicação no processamento de alimentos.

O objetivo do estudo realizado no grupo da Prof. Paula Teixeira pelos investigadores Marta Carvalho e Helena Albano foi determinar a atividade antimicrobiana in vitro de vários OEs contra microrganismos patogénicos e de deterioração, visando uma futura utilização na indústria alimentar.

Os resultados obtidos demonstram que, apesar de vários OEs possuírem boas atividades antimicrobianas, os OEs de orégãos e de tomilho obtiveram maior poder inibitório. Por outro lado, Salmonella spp., Listeria monocytogenes, Staphylococcus aureus e Escherichia coli foram os microrganismos mais sensíveis à maioria dos OEs.

Este estudo é de grande importância para os seus potenciais utilizadores, nomeadamente a indústria alimentar, uma vez que abrange vários microrganismos patogénicos de origem alimentar. No entanto é necessário testar o seu uso em cada matriz alimentar e avaliar as suas implicações sensoriais.

A publicação está neste endereço: http://oaji.net/articles/2017/1169-1530328176.pdf

Partilhe/Share