Produtos vegan de estudantes da Católica são finalistas do Ecotrophelia 2020

Dois dos 10 finalistas do prémio Ecotrophelia 2020, que distingue projetos académicos destinados a impulsionar o setor agroalimentar, são de estudantes da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa.

Os estudantes Ana Catarina Azevedo, Duarte Roque da Silva e Priscilla Ferreira Corrêa idealizaram e propuseram um GELALGA, um gelado de alga Wakame. A Wakame é uma macroalga rica em nutrientes como o cálcio, o magnésio e o sódio (MASTROROSA, 2018) que aliada a uma bebida de amêndoa, que é naturalmente baixa em gorduras saturadas e fonte de vitamina E (STUPPIELLO, 2016), permite criar uma sobremesa extremamente rica em nutrientes e saudável para a produção de um gelado que é bastante valorizado por todos os consumidores que desejam ter uma alimentação mais equilibrada e promover a saúde. Estes ingredientes fazem do gelado uma sobremesa saudável, rica em proteínas, minerais, vitaminas e baixo teor de gordura. Os estudantes explicam que “o principal objetivo foi o de criar uma sobremesa vegan, ou seja, sem incluir ingredientes de origem animal, e sem glúten, que iria agradar a todos os públicos,” acrescentando que “esta sobremesa transmite uma sensação de frescura e promete sabores inesperados.” 

Já Sara Moreira e Inês Rocha, da Escola Superior de Biotecnologia, e Tiago Luís Alves Ribeiro e Matilda Oxelfelt, da ESAD, desenvolveram um produto pré-congelado cozinhado chamado Veganisto. “Uma alternativa ao marisco tradicional e para pessoas com alergia a marisco e intolerantes a glúten/lactose, mas que apreciam o sabor” explicam os estudantes deixando a sugestão: “é também uma opção para curiosos ou consumidores que queiram reduzir o consumo de produtos de origem animal.” A lista de ingredientes inclui tofu, cogumelos, grão-de-bico, palmito e algas. “Estes ingredientes permitiram-nos alcançar o nosso objetivo, fornecendo ao consumidor uma refeição saudável e de fácil preparação, preservando os detalhes que caracterizam um prato de marisco,” esclarecem.

Estes dois projetos foram selecionados entre 62 projetos de 14 instituições de ensino superior e cujo vencedor será revelado em setembro. Além de um prémio pecuniário e de prémios em serviços, o vencedor representará Portugal num evento em Paris, em outubro, onde vão participar mais 17 países.

 

Julho 2020

Artigos relacionados:
Produtos de estudantes da Escola Superior de Biotecnologia são finalistas do Ecotrophelia 2019

Partilhe/Share