Economia circular: das vacas à terra às árvores

No passado dia 3 de dezembro de 2020 teve lugar uma sessão de demonstração no âmbito do projeto GO-BIOCHORUME – Sistemas biológicos de utilização do chorume proveniente de explorações de pecuária intensiva de bovinos leiteiros. O projeto tem como objetivo valorizar o chorume produzido pelas explorações pecuárias leiteiras através da sua aplicação como fertilizante em espécies florestais de crescimento rápido, como é o caso da paulónia e do choupo, com vista à produção de biomassa. A aplicação de microrganismos - bioinóculos - como é o caso dos fungos micorrízicos, pode também favorecer o estabelecimento, a capacidade de crescimento e a resistência a doenças destas árvores. O fornecimento e aplicação destes bioinóculos foi da responsabilidade da equipa da Escola Superior de Biotecnologia (ESB), liderada pela Professora Doutora Paula Castro.

Este é um modelo inovador de gestão de efluentes numa perspetiva de economia circular à escala da unidade da exploração, convertendo-os numa oportunidade e numa mais valia económica e ambiental. Nesta plantação o chorume está a ser aplicado em diferentes doses, fornecendo até 225 kg de N ha-1 ao solo em diferentes momentos. A qualidade de solo, água de escoamento e biomassa estão a ser avaliados.

A sessão decorreu no campo experimental de Penafiel e teve como principal objetivo apresentar o desenvolvimento do projeto a diversos produtores de leite e proprietários florestais. Realizou-se uma visita guiada às diferentes parcelas experimentais assim como um debate focado em soluções para o excedente de chorume das explorações pecuárias e sua possível aplicação em explorações florestais.

A equipa da ESB inclui as investigadoras Sofia Pereira e Helena Moreira e o técnico Joaquim Cunha. Além da ESB são parceiros do projeto a Aveleda, o INIAV, a Forestis e a Fenalac.

Partilhe/Share